14 janeiro, 2018

ENTREVISTA #7 | Autor Fábio de Andrade


Oie, tudo bem com vocês?
Mais uma entrevista incrível aqui no blog, dessa vez com o autor de Sob os olhos do delírio (resenha aqui), Fábio de Andrade. Vamos lá?

1 - Como você percebeu que queria ser escritor?
Desde criança sempre gostei de contar histórias e por volta dos meus 8 anos, muito influenciado pelo meu irmão, comecei a desenhar pequenas histórias em quadrinhos nas folhas de caderno que achava em casa, tempos depois a vontade de criar mundos só aumentou quando conheci o RPG onde pude criar essas histórias e colocar meus amigos para viverem ela, mas foi quando eu li Psicose do Robert Bloch que surgiu a necessidade de escrever, daí em diante foi um caminho sem volta, e mesmo se tivesse a oportunidade eu não voltaria nunca mais.


2 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Muita! Acredito que a pesquisa é uma das coisas, se não a, mais importante antes de começar a escrever, então dedico bastante parte do meu tempo buscando informações a respeito do que quero escrever. Geralmente absorvo informações de tudo, filmes, séries, quadrinhos, entretanto quando preciso de informações mais especificas faço questão de entrar em contato com pessoas que entendem profundamente do assunto. Já foi até em locais, no qual dizem, ser os mais mal-assombrados de Belém, tudo em prol de uma história bem contada.

3 - Qual de seus personagens é seu favorito? Por quê? O que ele significa para você?
Caramba, que pergunta difícil! Hahaha, eu defendo a pratica de desapego ao texto, então fica difícil ter um amor avassalador por algum personagem, e na mesma forma eu gosto de todos, inclusive os que servem só para causar problemas nas histórias, porém dentre os que já escrevi o que mais eu me diverti, e por causa disso me identifiquei mais, foi o Zell. A primeira vez que ele apareceu foi no conto “Zell: o demônio preguiçoso”, bem, do título já dá para saber mais ou menos como é o tipo de personagem.

4 - Quais são seus projetos para um futuro próximo? Pretende lançar mais livros?
Eu tô terminando de escrever um romance distópico que até então se chama Correntes não pensam em círculos, e tenho mais dois livros escritos que estão em processo de revisão; um de ficção cientifica e um terror, fora uns 20 contos que já tenho escrito. Agora em 2018 eu pretendo me dedicar bastante as revisões de Lia-303(terror ambientado em Belém) para tentar uma publicação por editoras, pretendo também dar continuidade ao SoodaCast que é um podcast literário que apresento aqui em Belém, e no meio de tudo isso escrever mais e mais contos.

5 - No início, que tipo de escritor/livro te influenciou?
Eu comecei lendo muito livro nacional passando pelos nossos mestres brasileiros, mas comecei a ter uma real noção sobre escrita quando conheci Dan Brown, ele é um dos meus pilares no processo de escrita, desde a desenho de estruturas quanto a disciplina que um escritor deve ter, outra inegável influência nos meus textos é de Edgar Allan Poe, talvez o escritor no qual eu mais me dedico a estudar seus textos, e colocando na mesma panela mais alguns outros autores como Eça de Queiroz, Scalzi, King, Cortzar, saí daí um caldo que me ajuda na hora de escrever.

6 - Qual a sensação que você tem ao perceber que pessoas que você nem conhece gostam e admiram seu trabalho?
É algo surreal e ao mesmo tempo, muito importante. Eu nunca imaginei que o Sob os olhos do delírio iria ganhar uma notoriedade tão boa quanto ele vem ganhando, então isso só mostra que toda a dedicação, trabalho duro e carinho que coloquei no texto estão me colocando no caminho certo.

Quer deixar algum recado para os leitores do Lost Words?
Primeiramente queria agradecer a você Aline por toda simpatia e disponibilidade em ler meu trabalho, agradecer a todo mundo que se deixou seu like, mensagens positivas sobre o livro e aproveito para convidar vocês a perderem algumas horas de sono lendo Sob os olhos do delírio, se você tiver coragem, é claro.

Sobre o autor:


Fábio de Andrade, 28 anos, nasceu e vive em Belém do Pará, lugar que serve de extrema influencia para sua escrita e criatividade medonha. Acredita que a literatura é uma deusa que pode salvar o mundo de qualquer problema, porém, ela está na adolescência e tem coisas mais importantes para fazer. Passa a maior parte do dia procurando receitas novas de café e na outra parte, julga se o café estava bom ou não.


Fiquei muito feliz com a participação do Fábio e suas respostas <3
Gostaram? Me conta aqui nos comentários.

Beijos!

6 comentários

  1. Não conhecia o autor, mas gosto sempre de ler estas entrevistas por aqui. O Fábio parece muito incrível!

    THE PINK ELEPHANT SHOE // Ganha um giftcard de 35€ na Sephora!

    ResponderExcluir
  2. BELÉM. 😍 Morava perto de Belém, bem no interior mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Olá !!
    2018 está com tudo hein ? ! Mais entrevista!!

    Adoro como o autor fala de suas inspirações!!

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. hahah adorei essa "Biografia". Adorei a entrevista! eu não conhecia o autor, mas achei bem legal a entrevista e como foi o processo de escrita e qual o personagem que ele mais gosta haha confesso que esse demônio preguiçoso ai me chamou a atenção, parece ser um pouco engraçado, e ja fiquei de olho nesse romance distópico que ele esta escrevendoo !!!

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito da entrevista! Adoro os livros do Dan Brown, King, Poe <3 Depois que li sua resenha sobre o livro dele, Sob Os Olhos do Delírio, fiquei morrendo de vontade de ler!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o autor gostei de conhece-lo assim algum dia vou ler o livro dele gostei quando ele citou o Edgar Ellan Poe ótimo gosto do ator

    ResponderExcluir

Copyright © 2018 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo