30 setembro, 2018

ENTREVISTA #42 | Autora Paloma Sama


1 - Como você percebeu que queria ser escritor(a)?
Gosto de escrever desde que aprendi a escrever. Quando eu era criança, sentia esse desejo dentro de mim. Adorava quando minha professora passava trabalhos que envolviam a criação de alguma estória.
Escrevo tudo o que minha mente cria direto no papel, literalmente. Adquiri essa mania depois que tive um problema com meu computador e perdi uma obra que já estava na metade. A partir daí, desisti dos eletrônicos e me foquei apenas em escrever em cadernos.
Sempre tive vontade de publicar, mas sentia vergonha dos textos porque nunca fui a melhor pessoa escrevendo. Não tive uma boa base de português na escola e precisei me virar sozinha, então, com vergonha de comentarem sobre os meus erros e por ter ciência de que meus textos estavam péssimos, os guardei para mim. Me mantive assim por muitos anos, melhorando minha escrita, trabalhando em cima dos erros das outras obras para que as próximas ficassem melhores... Até que fiquei alguns anos sem produzir nada devido ao trabalho e faculdade que me tomavam todo o tempo.
Voltei recentemente, em 2017, quando fui submetida a alguns acontecimentos que me deixaram desolada. Fiquei alguns meses me sentindo péssima, uma completa inútil, até que me lembrei de meus livros. Escolhi um que na época em que foi escrito, eu o tinha determinado que seria a minha primeira obra publicada, mesmo que internamente eu soubesse que não teria coragem de expor para outras pessoas. Mas é aquela coisa... o mundo dá voltas, e aqui estou eu hoje com meu primeiro livro.


2 – Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou de seu(s) livros? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Sim. Eu possuo muitos personagens pelos quais sinto um imenso amor, no entanto Seth Ranieri, personagem principal do meu livro publicado, é o que está no topo da lista. Primeiro, porque dei a ele os sentimentos ruins que eu estava sentindo na época em que o transcrevi para o computador. A sensação dele de frustração, impotência e raiva, estavam em mim. Eu entendia o que ele estava sentindo e isso de alguma forma me ligou a ele.
Segundo, porque ele é forte. É um homem que mesmo com dor vai à luta e enfrenta tudo e todos para conseguir o que almeja. É focado e não desiste, mesmo quando tudo aponta para um gigante ponto de interrogação.
Cada um lida com seus problemas de formas diferentes e isso pode te levar a dar a volta por cima ou desmoronar de vez, no meu caso, Seth me salvou.

3 – Como foi para você, entrar no mundo literário e publicar seu primeiro livro?
Fiquei um pouco receosa, pois eu não sabia como iria lidar com a opinião das pessoas. Ninguém nunca tinha lido algo meu e publicar, para mim, era como um sonho distante. Então, quando tive a oportunidade, tomei coragem e decidi me aventurar. Com o tempo fui me habituando, fui aprendendo mais sobre esse mundo. Conheci grandes autores nacionais que ainda não são tão famosos, mas que estão conquistando seu cantinho na estante dos leitores. Devo confessar que estou adorando aprender mais sobre essas pessoas e sobre esse universo tão vasto.

4 – Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Sinceramente não, sou muito preguiçosa (risos). Eu geralmente imagino absolutamente tudo do meu jeito, escrevo a obra inteira e só então, quando vou revisar, faço algumas pesquisas para ter o mínimo de propriedade sobre o assunto. Claro que uma pesquisa mais aprofundada depende inteiramente do tema proposto no livro. Um exemplo disso é o romance que terminei de escrever recentemente e que está em um processo de revisão. Um dos personagens principais é bombeiro, e para falar melhor a respeito de sua profissão fui até um quartel dos bombeiros tirar dúvidas, observar como trabalham, entender um pouco mais da história, enfim, fui em busca de informações para dar o máximo de realidade ao texto.

5 – Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Por ainda ser muito nova nesse meio, são poucas as pessoas que me cobram. Há aqueles que me perguntam incessantemente quando sai o próximo livro ou querem saber a ordem em que serão publicados os diversos textos que tenho guardado. Dois em especial são os mais cobrados. Um de fantasia — já terminado — escrito por mim e uma amiga e o outro apocalíptico que não sai dos dez capítulos há anos.  Eles não sabem, mas essas perguntas incessantes aquecem meu coração e sim, eles serão publicados, mas só Deus sabe quando (risos).

6 – Fale um pouco sobre sua forma de criação... Tem alguma mania na hora de escrever?
Como mencionei antes, desde o problema que tive em meu computador, passei a escrever meus livros em cadernos. Tenho ideias novas a todo instante, principalmente em meus sonhos, que em diversas vezes me fazem querer anotá-los e enquanto não o faço, não consigo voltar a dormir.
Quando a ideia surge e me atrai de forma alarmante — seja em sonho ou não —, eu a trabalho mentalmente por alguns dias. Há vezes em que sinto que essa ideia não virará um texto tão cedo, portanto, para não esquecer o que já imaginei, faço anotações. Isso varia entre nomes, características, ambientação, etc.
Gosto de escrever com música, em sua grande maioria, não possuem letras. As produtoras de músicas Audiomachine e Two Steps From Hell, são as que me acompanham há muitos anos durante minhas criações.

7 – Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Pretendo investir nas diversas estórias que já estão prontas e que necessitam de lapidação. 
No momento estou revisando um romance e transcrevendo uma distopia. Acredito que apenas um deles será publicado esse ano, provavelmente o romance. Ainda tenho intenção de transformar meu primeiro livro em formato físico.
Também estou participando de duas coletâneas. Horror Show, propiciada pela editora Skull, tendo três contos meus selecionados e com previsão de lançamento para dezembro.
Expresso 666, com meu conto “Lura”, que será lançado pela editora Andross no dia 6 de outubro. Estão todos convidados a comparecerem ao evento.

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores? 
Com certeza. Quero agradecer ao Blog Lost Words pela oportunidade que me deu de contar um pouquinho da minha história, o trabalho feito por Aline como forma de juntar tantas pessoas com um amor em comum, é de se admirar.
Aos leitores, também o meu muito obrigada por disporem de seu tempo para ler essa entrevista.
Uma mensagem importante que quero deixar gravada aqui é: dê uma oportunidade a literatura nacional. Existem muitos autores bons e que estão esperando a mínima chance de poderem mostrar quem realmente são. Nosso conteúdo é bom.  Vamos incentivar as pessoas a lerem mais, a conhecerem o desconhecido.
Para aqueles que ficaram interessados em conhecer o meu trabalho ou quiserem apenas conversar, me procurem nas redes sociais. Será um prazer conhecer você.

Sobre a Autora:

Paloma Sama, 22 anos. Nascida em São Paulo, Sp. É técnica em edificações e ex-estudante de engenharia civil. 
Apaixonada por filmes, principalmente os de faroeste. Tem o sonho de ser roteirista e diretora de cinema algum dia. Games, animes e músicas instrumentais também a fascinam. 
Além de escrever, ler é um de seus hobbies favoritos. Romance policial é o gênero que mais lhe desperta interesse. 
Sempre diz que foi salva pela escrita. Ama o que faz, principalmente, ama dar vida ao que se passa em sua mente. 



Sobre sua Obra:

Sinopse: Após a morte de seu irmão numa operação de combate ao tráfico de órgãos, o investigador da polícia federal Seth Ranieri assume o caso.
Numa busca obsessiva pelo culpado, o investigador passa por cima de tudo e todos sem medir as consequências.
Apesar de habilidoso, Seth cairá num jogo de frustrações onde andará em círculos em busca do assassino, e mesmo encontrando peças de seu quebra-cabeça suas provas não serão suficientes.
Em seu percurso conhece Jaqueline de Lima, uma designer de móveis emocionalmente instável que teve a vida destruída após um relacionamento mal-acabado.
Ela vê em Seth a esperança que perdera e ele a vê como uma peça de seu mistério.
Ambos serão a chave para a solução ou desgraça de seus problemas.

Instagram da Autora | Wattpad | Aonde Comprar: Amazon | Skoob

Beijos!

26 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oiie
    Gostei muito da entrevista admiro a coragem dela por expor a obra dela afinal quando escrevemos também estamos nos expondo e temos medo de críticas de sermos rejeitados e ela é nova só tem 22 anos Parabéns Paloma.
    E a sinopse do livro gostei muito será que Seth vai encontrar o culpado pela morte do irmão e será que Seth e Jaqueline irão se apaixonar? Fiquei curiosa.
    Parabéns novamente Paloma Sama.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Clara. Muito obrigada por seu comentário.
      Espero que possa conhecer um pouquinho da história de Seth e Jaqueline. Ambos são pessoas com problemas internos que precisam amadurecer e quando se envolvem, bem... Não é uma coisa fácil, haha, mas sem spoilers.
      Você realmente falou tudo. Se expor e aguardar as críticas não é fácil, mas todos nós estamos sujeitos a isso. Crescemos muito com os comentários, sejam eles positivos ou negativos.
      Beijos!

      Excluir
  3. Ainda não conhecia esta autora também, concordo com que ela disse nós autores precisamos nos uninir mais para o crescimento da literatura nacional , gostei muito da entrevista Aline sempre trazendo um pouco mais sobre autores nacionais apoiando o trabalho árduo de ser escritor.

    ResponderExcluir
  4. Que linda!
    Ainda nao li o livro, mas já está nos desejados....
    Adorei a entrevista, parabéns!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Aline ♡
      Espero que goste.
      Beijos!

      Excluir
  5. Ah, que linda!
    Amei saber que ela ainda escreve no papel, é algo tão mágico!
    Não conheço a escrita dela, mas já fiquei curiosa para ler suas obras.
    Ótima entrevista!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ludyanne. Escrever no papel se tornou um hábito difícil de largar, haha, mas considero algo bom. Sinto que tenho mais liberdade com um lápis na mão do que com um teclado.
      Espero que quando chegar a ler algo escrito por mim, seja de seu agrado.
      Beijos!

      Excluir
  6. Uau. Adorei conhecer a autor e gostei muito da premissa do livro dela, gosto de histórias envolventes e cheia de mistérios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Kleyse ♡
      Espero que goste do meu livro, caso o leia algum dia.
      Beijos!

      Excluir
  7. Já fiquei bem curiosa com essa distopia que altura falou que está escrevendo gosto de gêneros assim essa autora aparenta ser uma fofa e vou procurar saber mais sobre as obras dela mas eu realmente fiquei mais empolgada sobre essa distopia mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Fofa é você, Caroline <3 Muito obrigada. A distopia será publicada ano que vem, com previsão de dois volumes, ainda não é certeza. Estou trabalhando nela e acredito que logo logo estará disponível para leitura.
      Beijos!

      Excluir
  8. Ainda não conhecia a autora, mas fiquei impressionada com a proposta do livro dela, e por ela ser tão nova e ainda sim já tão determinada em seus pensamentos e na forma de sua escrita =) Com certeza irei querer saber mais sobre o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Michelli ♡
      Espero que goste do livro quando tiver a oportunidade de lê-lo.
      Beijos!

      Excluir
  9. Adorei a entrevista e quero parabenizar a autora por essa coragem que a fez correr atrás de seus maiores sonhos!!
    Romances policiais também me fascinam e fiquei bem curiosa com "Justiça Ferida". Gostei de saber que a Paloma consegue escrever em diversas 'categorias'. Paloma, vc tem o mundo pela frente, parabéns por tudo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Giovana ♡
      Precisamos correr atrás do que almejamos, não podemos ficar paradas. Espero de coração que, se puder ter a oportunidade de ler meu livro, que te agrade.
      Eu tento variar bastante os gêneros para saber no que tenho mais facilidade. É importante aprender sobre outros estilos de gêneros.
      Beijos!

      Excluir
  10. Tão novinha e já com tantos projetos e sonhos, afinal, escrever é se jogar num sonho sem fim.
    Ainda não conhecia a autora, mas fã incondicional da literatura nacional, adorei poder saber um pouco mais sobre a autora e com isso, ter a chance de conhecer seu trabalho e oh, quase ninguém mais usa isso de escrever no papel..rs
    Adorei!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada ♡
      Escrever um livro inteiro no papel é de fato uma raridade, e muita coragem também, já que de qualquer forma, precisa ser transcrito para um computador e dá uma trabalheira danada :D
      Beijos!

      Excluir
  11. A sinopse do livro é interessante, gosto de assassinatos e mistério. Achei interessante saber que a autora não se achava a melhor pessoa escrevendo e mesmo assim continuou escrevendo e virou escritora isso que é determinação e garra. Gostei muito da entrevista.

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro, nem a autora, mas achei ela muito simpática e inteligente.
    Da pra ver que sempre gostou muito de escrever e tem talento nato.
    Parabéns!
    Fiquei curiosa pra ler seu livro e esse apocalíptico mais ainda!
    bjão e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana <3 Espero que tenha a oportunidade de ler Justiça Ferida, quanto ao apocalíptico, de fato vai demorar um pouco. É um proposta bastante ambiciosa e precisa ser trabalhada bem, mas creio que vai agradar aos amantes do gênero. Aguarde e verá.
      Beijos!

      Excluir
  13. Aline!
    Interessante saber que a autora Pamola não faz pesquisas para seus livros e ainda assim, parece ter uma obra boa de ser lida.
    Desejo muito sucesso!
    Desejo um mês abençoado e uma semaninha de luz e paz!
    “A gratidão é o único tesouro dos humildes.” (William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES –
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir