25 março, 2018

ENTREVISTA #17 | Autora Giselle Melo


1 - Como você percebeu que queria ser escritora?
Meu amor pelos livros começou muito cedo. Minha mãe era professora, hoje aposentada, e trazia muitos livros emprestados da biblioteca escolar. Inicialmente ela me contava as histórias, posteriormente eu mesmo as lia. Ficava horas sentada no chão lendo e 'conversando com os livros', como conta minha mãe.  O gosto só aumentou. Por volta dos 10 anos de idade, fiz um caderno de poemas comecei a escrever. O prazer pela leitura evoluiu de tal forma, que aos 12 anos ganhei de presente no Natal, da minha avó materna, uma máquina de datilografia (tenho até hoje). E escrevi vários poemas. A leitura não cessava. Levava livro pra ler em todos os lugares que ia: batizado, casamento, aniversários etc. Assim foi nascendo a escritora. Mas, ao entrar para o Ensino Médio, na Escola Normal Carmela Dutra - para formação de professores aos 14 anos conheci a Psicologia e me encantei. Lembro até hoje da professora Regina explicando que o bebê, ainda na barriga da mãe, sentia tudo o que a mesma sentia e passava. Achei aquilo mágico! Com isso, decidi fazer graduação em Psicologia. Fiz várias pós-graduações, mestrado, cursos de extensão e muito mais.
Mas nunca abandonei a escrita, apesar de ter se intimidado. Após eu completar 19 anos como psicóloga infanto-juvenil, decidi enveredar por outros caminhos profissionais.
Tentei fazer atendimentos on-line, mas não gostei. Investi na tutoria à distância, ou seja, dar aula nas faculdades de forma virtual. Também não gostei.
Me perguntei: - O que fazer? De repente veio um ímpeto, como se algo guardado no meu interior saísse: ESCREVER!!! Lembrei-me que eu já traçava esse caminho quando me apaixonei pela Psicologia. Fiquei extremamente eufórica de felicidade! Mas eu não me arriscaria sem ter a certeza de que ainda tinha talento para tal. Foi quando busquei um curso e o professor, autor conhecido no meio literário, ao ler um rascunho meu disse que eu 'levava jeito pra coisa'. Então decidi investir.
Conheci a escritora Stella Maris por meio de um livro dela e entrei em contato perguntando se ela poderia ser minha orientadora. Ela  fez uma entrevista comigo e me aceitou. Ela me orienta há dois anos.


2 - Tem algum personagem favorito? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Meus personagens favoritos referem-se à minha infância: Mafalda, Mônica, bruxas no geral, a fada do Pinóquio e outros. Na verdade, me atraía determinadas características do personagem: força, magia, encantamentos, humor, garra. Não há um personagem preferido específico. Me apaixonei por vários no decorrer da minha vida. Depende muito do meu momento.  Hoje posso dizer que estou enamorada das personagens do livro: "Mais de 1.000 histórias maravilhosas", da escritora Marina Colasanti.

3 - Foi difícil chegar até uma editora e publicar seu primeiro livro?
Nossa! Põe difícil nisso! Ufa!!! Ter uma editora que compactue da sua ideia, não é tarefa fácil. Há trâmites a serem respeitados e aprendidos. E para dificultar ainda mais esta empreitada, o país vive uma crise seríssima. O primeiro setor a ter as verbas cortadas, infelizmente, é a cultura. Museus, teatros, bibliotecas, centros culturais estão em momento muito precário. Com isso, as editoras precisaram cortar custos. Muitas publicações estão aguardando dias melhores em nosso país.

4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
 Sim. Pesquiso o necessário para ter uma narrativa sólida e também informativa. Gosto muito de gerar conhecimentos e poder oferecê-los aos leitores. Até mesmo ao escrever minhas histórias infantis leio artigos, jornais, revistas sobre o assunto. Sempre!  Penso que o leitor mereça o melhor, a verdade, a luz do conhecimento. O saber!

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Não percebo como cobranças. Meu olhar é para opiniões. A percepção de cada sujeito é diferenciada. Isso deve ser respeitado. Procuro avaliar e compreender as falas de cada um. Em muitos momentos me coloco no lugar do outro para entender sua linha de raciocínio.

6 - Por que motivo escolheu esse gênero?
Romance, conto, fantasia, ficção científica, encantamentos. Ingredientes indispensáveis para a minha escrita literária.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo? Pretende lançar mais livros?
Sim! Com certeza! Já estou com três infantis prontos; um técnico literário e iniciei um romance. ESCREVIVER , meu estilo de vida!

Sobre a Autora: 


Apaixonada pela leitura, ainda criança, carregava para onde quer que eu fosse um livro nas mãos, criando sempre a oportunidade para lê-lo, mesmo nos eventos sociais mais inusitados, como casamentos e aniversários. Sempre gostei de registrar, a lápis, os acontecimentos de meu dia a dia em agendas e blocos. Sonhei em ser escritora, mas fui instigada pela Psicologia e o estudo da mente humana. Há 30 anos atuo como professora e 21 como psicóloga infantojuvenil e neurocientista, mas nunca abandonei a escrita. Nestes últimos anos, a alma de escritora reivindicou presença vigorosa em minha vida. Dessa inquietação, surge o primeiro romance em uma caminhada pelas areias praianas onde o vento cantante firmava sua presença. Fui pesquisar sobre ventos, temperaturas e estações do ano. Não obstante, por força do enredo, evidenciou-se imperiosa a busca de conhecimento sobre feitiços, magias e costumes do povo cigano.


Beijos!

5 comentários:

  1. Adoreeeei conhecer mais dessa autora, e com certeza irei adquirir os livros dela para ler. Gosto de mais dessas entrevista pois assim posso conhecer os talentos brasileiro que são poucos conhecidos e suas respectivas histórias. 😊😚💜😻🌸💜

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aline.

    Bom seria se todos desde pequenos, assim como a autora, tivesse esse incentivo que ela teve, e apreciasse a leitura.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a forma como ela descreveu sua trajetória até se tornar de fato uma escritora,com extrema riqueza de detalhes,contando desde seu presente de Natal(a máquina de datilografia) até seu passo final com a orientação de Stella Maris.
    E torço para que o cenário nacional venha investir mais na cultura e que dela,mais autores nacionais sejam descobertos.
    Assim como ela amo Ficção científica e Fantasia,com boas pitadas de romance.
    Te desejo tudo de bom,viu Gisele Mello!

    ResponderExcluir
  4. Sempre que posso venho aqui conhecer mais de vários autores, e essa autora com certeza irei adquirir os livros dela para ler. Gosto demais dessas entrevista pois assim posso conhecer os talentos brasileiros que são poucos conhecidos e as vezes bem desvalorizados

    ResponderExcluir
  5. Também tem uma paixão pelo Pinóquio pela Mônica e por Bruxas o identifiquei muito com a história da autora e eu acho que essa foi uma das minhas entrevistas favoritas

    ResponderExcluir