15 maio, 2018

RESENHA | Flores Mortas - Patrick Correa / Larissa Prado

Título: Flores Mortas
Autor(a): Patrick Correa / Larissa Prado
Editora: Amazon
Páginas: 58
Gênero: Terror
Ano: 2018
Skoob
Nota: 5/5 + favorito
Sinopse: “Ainda não conseguia falar uma palavra sequer sobre aquilo, o ar estava realmente pesado, quando senti um torpor em meu corpo tive que diminuir o passo. Aquele cheiro de flores mortas começava a ficar evidente e a cada passo que eu dava na direção da velha fábrica o odor intensificava. Senti que estava perdendo um pouco da noção de espaço, as coisas pareciam ficar distantes, assim como o som de nossos passos. O ar se tornara difícil de respirar, minhas mãos estavam trêmulas, a sensação de estar sendo observado me acompanhava e em meus pensamentos eu pedia à Deus que não estivesse vivenciando na realidade as mesmas coisas que eu havia vivenciado durante o tempo desacordado no hospital.” Arthur e Raul são dois detetives que estão trabalhando no caso de uma menina de oito anos que desapareceu enquanto foi passar as férias na casa dos avós. Durante a investigação os dois detetives vão à Saville, uma cidade fantasma evacuada após um misterioso incêndio que a devastou. Na cidade queimada, Arthur sofre um apagão após ter perseguido numa densa névoa uma criança acompanhada de uma criatura bestial. Arthur tem visões de horror, em um denso mergulho no fundo da sua mente, sobre mistérios obscuros nos quais se vê envolvido por causa do caso Sofia. Quando o detetive retorna de seu estado de choque, recebe a notícia que seu parceiro Raul descobriu que a garota procurada foi morta, mas ainda não se tem notícias de como tudo ocorreu. Acontece que as visões de Arthur continuam. Ele se nega a aceitar que a menina tenha morrido. Sem a ajuda do parceiro, que acredita que a menina já está morta, Arthur embarca sozinho em uma busca insana por Sofia e descobre muito mais do que poderia imaginar, entrando de cabeça em um emaranhado de loucura sobre antigas tradições demoníacas e uma única verdade, que revelará toda a obscuridade por trás do caso de Sofia.
Uma garotinha de apenas 8 anos desapareceu, Sofia estava na casa de seus avós aproveitando suas férias e sumiu. 
Arthur e Raul são policiais aposentados que agora  trabalham em investigação particular. Eles vão em busca de Sofia até a cidade vizinha: Saville. Mas acreditam que a menina foi sequestrada.

"- É apenas uma cidade abandonada, Raul. Fica tranquilo - tentei confortá-lo quando, na verdade, tentava confortar a mim mesmo."

Saville está completamente vazia, seus habitantes deixaram a cidade em seguida a um incêndio que aconteceu há quase 10 anos.
Nessa busca na cidade fantasma, Arthur vê Sofia, mas ela não está sozinha, e sim com uma criatura macabra e suspicaz. 
Depois de perseguir a criatura, Arthur sente algo anormal e desmaia. 

Ele acorda em um hospital, começa a vivenciar coisas indescritíveis, e a sentir um cheiro intensivo de flores mortas. Seu colega diz que a menina está morta, mas Arthur não acredita, e vai em busca de pistas que podem acaber com sua vida, o mal está presente em Saville. 

"A figura grotesca se moveu com cautela, sacudindo algumas folhagens aclaradas pela tênue luminosidade da lua. Aquele ser excêntrico lançou o olhar sobre mim, tinha os olhos mortos e de um brilho fosco, o rosto na penumbra, com protuberantes marcas de ossos ressaltados sobre a pele fina e parcialmente escarnificada."

Flores Mortas é quase impossível descrever em palavras a altura, é um terror psicológico que atormenta o leitor e faz até os mais audaciosos sentirem temor. 
Temos aqui um conto que cumpre o que promete, os autores conseguiram manter um equilíbrio no qual não diferenciei a escrita, um conto que envolve e deixa uma apreensão no ar. 

Mas se sentir cheiro de Flores Mortas durante a leitura.. não olhe para trás.


Beijos!

15 comentários

  1. Sou sempre apaixonada por essas resenhas...ainda mais que Amooo esse gênero de livros
    E terror psicológico é MARAVILHOSO��

    E espero que eu não sinta o cheiro de flores mortas��

    ResponderExcluir
  2. Oi, Aline.

    Acho que esse cenário sobrenatural, deixa uma certa dúvida incessante, sobre o que de fato aconteceu com a garota...

    ResponderExcluir
  3. Mais um livro de terror por aqui, e esse parece ser realmente o mais assustador de todos os que você falou. Acho que o clima da história e a questão da morte ou não da garota faz a gente ficar bem assustado, definitivamente não é um livro pra mim ;P

    ResponderExcluir
  4. Oi,

    Eu sei que você já deve estar cansada dos meus comentários de "não leio terror, que horror", mas, estou chocadíssima. Porque, pelo fato de eu não ler terror, nunca tinha lido um pedacinho sequer de um livro assim, num momento emocionante igual tá na sinopse.

    Esse autor parece ser muito bom! Achei a narração (apesar de bem assustadora), sensacional. Deu pra sentir direitinho o que o personagem tava passando. Bem que ele podia escrever um romancezinho ou uma distopia pra eu ler, hahahahah.

    E se eu sentir o cheiro de flores mortas, prometo correr bem rápido.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Outro livro que não conhecia e já quero ler!!! Gosto muito de livros de terror, ainda mais quando é psicológico! Só de ler a sinopse desse livro, já dá para perceber como é muito bom e envolvente! E, além de tudo isso, ainda tem uma dupla de policiais, uma cidade fantasma e uma criatura sobrenatural! Ou seja, o que todo livro de terror necessita! Depois dessa resenha, só falta eu ler o livro mesmo!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Aline!

    Eu não conhecia esse livro, parece ser bem aterrorizante. Como não gosto muito de ler histórias de terror então eu não leria esse, mas para quem é fã desse gênero com certeza vai amar.
    Adoroooooo as fotos que você monta para postar junto da resenha, são maravilhosos. Bjs e uma ótima quarta. .

    ResponderExcluir
  7. Oi Aline,
    Primeiro :: Que capa tão macabraaaaaa! SOS
    Gosto de ler as resenhas porque me dá uma ideia da história, mesmo eu sabendo que nunca vou ler.

    ResponderExcluir
  8. Eu amo que você tragam resenhas deste gênero, o qual é tão pouco explorado. Senti um gostinho de triler de filme aqui, deixou a curiosidade.

    ResponderExcluir
  9. Fiquei toda arrepiada aqui! Esse livro ativou meu modo medrosa no máximo, mas a curiosidade está me matando kkkkk
    É muito bom ler uma resenha que expressa tanto em poucas linhas, sério, fiquei fascinada pelo caso de Sofia e o que Arthur começa a descobrir com isso.
    Bjs ;*

    ResponderExcluir
  10. Oi, Aline!
    Leio poucos livros de terror daqueles intensos, mas uns thriller leio muitos.
    Adorei a resenha apesar de sentir um medo, tenho curiosidade para ler mesmo assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Aline do céu, tô amando esses suspenses que você anda publicando por aqui.
    Terror psicológico >>>
    Essa capa me dá até um embrulho no estômago... credo, que delícia kkkk

    ResponderExcluir
  12. Olá! Para tudo, nem precisa sentir cheiro de flores mortas, só essa capa já me faz querer sair correndo. Não sei quem fala mais alto no momento se é a curiosidade em saber o que de fato aconteceu com a Sofia ou o medo de entender o que é esse ser que o detetive viu. Ainda bem que são poucas páginas de sofrimento.

    ResponderExcluir
  13. De verdade, terror não é o meu forte, não é algo que me faça ir correndo na livraria comprar. Não gosto, prefiro ler coisas mais pra cima, do que ler violência e medo.
    Deixo passar.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  14. nunca senti medo lendo uma resenha
    mas hoje eu senti
    que medo desse livro
    não sei se leria
    só essa capa me deixou tenso
    mas a resenha está muito bem feita
    gosto quando são dois autores escrevendo juntos

    ResponderExcluir
  15. Se senti medo????? Não defino com medo, mas uma certa angústia, sei lá, pra mim quando ter crianças envolvidas nessas histórias parece q sinto mais. A capa me fez lembrar um pouco de O Chamado do Monstro. Se lerei, esse é mais provável kkk
    Nao tente me entender, esse fator é dificil ate pra mim kkkkkk

    Bjss

    ResponderExcluir

Copyright © 2018 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo