ENTREVISTA COM AUTORES #56 | AUTOR RUI SAMPAIO

by - quarta-feira, junho 26, 2019


1 - Como você percebeu que queria ser escritor(a)?
Acho que desde os 9 anos, aprendi a ler bem cedo (graças aos gibis da Mônica) e eu
adorava inventar histórias, na infância minha brincadeira preferida era brincar de fazer filmes,
series e novelas e eu escrevia a fala de todos, eu sabia que era aquilo que queria continuar
fazendo a vida inteira, criar histórias e personagens.

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livro(s)? Se sim, por quê? O
que ele significa para você?
Não diria que tenho um favorito, mas Karen é especial porque foi o primeiro publicado
e ela é uma personagem forte, e Erick que faz parte de uma trilogia ainda não publicada, ele
representa um pouco de mim e de como eu gostaria de ser.

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Foi fantástico, porque se trata de um sonho de infância e escrever é a minha paixão.

4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Sim, quando tenho que abordar um tema eu leio muito sobre ele, como no caso de
Karen, eu pesquisei muito sobre sexualidade e temas afins, minha pesquisa vai além da leitura,
eu assisto filmes e series com o tema parecido e pesquiso por musicas que sejam “a cara” do
personagem, adoro colocar referências musicais nos livros.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Eu não diria que eles me cobram, mas esperam por livros novos e eu tenho vários que
estão só esperando a oportunidade de serem publicados.

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação... tem alguma mania na hora de escrever?
Manias não tenho, mas eu sempre faço anotações, tipo um resumo do livro, depois
defino quantos capítulos e os títulos, descrevo a personalidade de cada personagem, as vezes
até desenho eles para sentir que é algo mais concreto, pesquiso o designe de roupas, os tipos
de cabelo, etc. Para escrever eu sempre me proponho a escolher um horário e faço uma
rotina, senão eu relaxo e acabo demorando demais, até mesmo desistindo do livro.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Ultimamente estou escrevendo um novo romance que envolve suspense e mistério
chamado “Um lugar seguro em mim”, lancei recentemente o e-book na Amazon de “O Poeta
Amargo” e tenho uma novidade que não contei aos meus leitores, pretendo lançar uma
versão do livro totalmente em espanhol com algumas poesias inéditas, se chamará
“Confesiones de Un Poeta Amargo”.

8 - Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros
leitores?
Primeiramente quero agradecer a oportunidade da parceria e da entrevista e faço um
convite aos leitores do Lost Words a conhecer o meu trabalho com a poesia no
@opoetaamargo, fico na esperança de que gostem do meu trabalho e se quiserem falar
comigo sempre respondo a todas as mensagens.

Sobre o Autor:


Antônio Rui Sampaio de Lacerda Neto nasceu em 08 de junho de 1992 na cidade de Juazeiro do Norte – Ceará e residiu na cidade de Missão Velha onde concluiu o ensino médio na escola Monsenhor Antônio Feitosa e foi um dos alunos que apresentou o projeto “Conheça e ajude um irmão” em 2009, também no mesmo ano ganhou o concurso de redação da escola, em 2010 começou  a cursar letras na Universidade Regional do Cariri (URCA), retomou a escrita de poesias que havia iniciado desde os 14 anos e escrevia artigos para um informativo local. Em 2013 iniciou a escrita do seu projeto lirico intitulado de "O poeta amargo" e também criou a fan page de mesmo titulo, também começou a trabalhar como professor ensinando português, arte, religião e inglês, neste mesmo ano nascia Karen publicado pela Editora Multifoco em 2015 e dividido em 2 volumes. O autor ainda tem um grande acervo de poesias e outras obras não publicadas, além de historias em quadrinhos e projetos literários que vem desenvolvendo desde a infância.

Sobre seu Livro:

Sinopse: A poesia é uma forma de expressão, uma maneira de enunciar-se, de vomitar o que se sente, pode também ser um fingimento, uma vontade de sentir algo ou de fugir de si mesmo, pode ser algo que lhe acalma, que lhe anima, que limpa a alma, pode ser uma necessidade, uma maneira de expurgar a dor, a raiva, de aliviar o coração e falar com rimas quando o momento pede que se cale, quando você não pode gritar. A poesia pode ser algo belo que você deseja escrever porque está apaixonado ou simplesmente porque acordou feliz, pode ser uma forma de gratidão e de conectar-se com o divino, poesia também pode ser crítica social, uma forma de protesto, de reflexão, pode ser liberdade, uma maneira de dizer o que é preciso, de falar sobre tolerância, sobre justiça, sobre as mazelas humanas, sobre sociedade, consciência e evolução, poesia é arte e também filosofia, afirmação e negação. Nesta obra o “poeta amargo” faz tudo isso, usa a poesia de várias maneiras e com vários objetivos, de forma a eterniza-se em cada alma que se identifica com seus versos ou que nela encontra inspiração e motivação para a vida.
Gostaram? Me conta nos comentários.

Instagram do Autor | Compre Aqui: AMAZON | SITE | SKOOB

Beijos!

Você também pode gostar desses posts:

3 comentários

  1. Amei a entrevista com Antônio Rui,um orgulho de saber que cada dia que passa mais nos surpreende.Amo ler Karen.

    ResponderExcluir
  2. Que legal a entrevista. Bom saber que vem novidades por aí. Acompanho o Rui pelo Instagram e já li o poeta amargo, que por sinal é incrível. Admiro muito o trabalho dele.

    ResponderExcluir
  3. Amei a entrevista e amo seu trabalho um escritor jovem e muito promissor vale a pena conhecer seu trabalho é incrível

    ResponderExcluir