ENTREVISTA COM AUTORES #94 | Autor Rafael G. Esteque

by - sábado, setembro 26, 2020


1 - Como você percebeu que queria ser escritor(a)?
Acho que foi quando eu percebi como eu escapava da realidade dentro das histórias que eu lia, e eu próprio queria criar histórias que permitissem esse escape, tanto pra mim quanto pra outras pessoas. Isso quando eu era bem novo. E à medida que eu cresci, percebi como a ficção também é muito útil para passar mensagens e criticar a realidade (aquela mesma realidade da qual nós às vezes queremos escapar). Essa percepção apenas aumentou a minha vontade de escrever, e hoje eu tento criar histórias que permitam aquele escapismo nostálgico, mas que ao mesmo tempo causem algum tipo de reflexão.

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livro(s)? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Pergunta difícil! rs... Eu tenho um carinho grande por personagens mentores, muito comuns em estruturas narrativas como a jornada do herói. E como todo nerdão, tenho um carinho enorme pelo Gandalf e seu papel de guia misterioso tanto no Hobbit quanto no Senhor dos Anéis. E ele é especialmente importante pois vê as qualidades de cada personagem, e tenta fazê-los desenvolvê-las. A coragem e resiliência do Bilbo e do Frodo, a honra do Aragorn, até mesmo a bondade escondida do Gollum. Personagens mentores são fatores importantes de jornadas épicas. Nas minhas próprias histórias, uma personagem com essa característica é a Dona Fica. Ela já apareceu em alguns dos meus contos de terror da série Zona de Sombra e é um personagem importante do romance que eu estou escrevendo, que é uma história de terror ambientada em São Paulo.

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Foi difícil, por questões de insegurança. Embora eu escreva desde criança (eu literalmente comecei meu primeiro livro aos 11 anos, que obviamente nunca foi concluído), durante muitos anos eu não tive coragem de mostrar meus escritos pra quase ninguém. Uma oportunidade acabou surgindo em 2017, quando eu publiquei meu primeiro conto, uma história sobre um personagem que eu havia criado para uma mesa de RPG. Eu tinha 27 anos na época e aquela publicação ajudou muito a começar a vencer minhas inseguranças. A partir daí, eu comecei a escrever contos para participar de outras antologias e a colocar algumas dessas histórias na internet.

4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Demais! Acho que pesquisa é uma parte essencial da atividade de um escritor, pois os detalhes incluídos na narrativa é que vão proporcionar a imersão do leitor no cenário.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Apenas uma, por enquanto: que eu continue as histórias que deixei em aberto ou que comecei e não dei continuidade, haha...

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação... Possui alguma mania na hora de escrever?
Eu sou bem metódico, e não sei se é uma mania, mas eu tô sempre fazendo anotações de ideias à medida que elas surgem em diversos lugares (cadernos, post-its, agendas, um grupo comigo mesmo no whatsapp), então na hora de colocar tudo num texto organizado eu geralmente tenho um monte de anotações diferentes. Às vezes tenho tantas acumuladas que, pra não perder, transcrevo tudo pra um arquivo de word, com a data em que cada ideia veio (às vezes até a coisa que me deu a ideia). No mais, meu modo de criação varia, mas em geral eu sinto uma inspiração grande logo depois de terminar de assistir um bom filme. E eu também sou o tipo de pessoa que funciona melhor com a disciplina de um prazo. Então quando tem um prazo pra terminar um texto, geralmente pra submeter pra uma coletânea ou concurso, eu acabo me forçando a sentar e concluir a história, abdicando um pouco do meu perfeccionismo.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Tenho um romance em andamento, o mesmo que eu mencionei lá na segunda pergunta. É uma história de terror ambientada em São Paulo que se conecta com alguns dos meus últimos contos de terror da série Zona de Sombra. No momento estou focado nele, aguardem!

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores?
Não deixem o prazer da leitura morrer! Nós estamos vivendo uma época de crescente vício em redes sociais. Elas são legais, eu também uso, mas roubam muito do nosso tempo e dão muito pouca coisa em troca. Enquanto um livro pode te ajudar a fugir da realidade de uma forma saudável ou talvez refletir sobre ela, as redes sociais nos mantém presos a uma realidade que em boa parte do tempo é falsa (olha que ironia!). Mesmo quem gosta de ler às vezes se vê sem tempo, mas a verdade é que o tempo rolando o feed do face ou do insta pode ser muito mais prazeroso se você mergulhar nas páginas de uma história bem contada.
E leiam autores nacionais! Nós estamos vivendo um bom momento de surgimento de novos autores, produzindo histórias fantásticas que não devem em nada pros gringos, mas esses autores dependem dos leitores para continuarem incentivados. Procure conhecer autores novos, dê uma chance, e divulgue pros amigos que gostam de leitura – essa divulgação boca a boca ainda é essencial.

Sobre sua obra:


Sinopse de Segredo Desumano: Todos nós possuímos segredos. Alguns maiores, outros menores... e mesmo aquelas pessoas que alegam ser um livro aberto as vezes conservam aquela página colada, sem a qual a história não está completa.
André e Luciana acabaram de voltar para São Paulo após dois anos morando em Salamanca, na Espanha. Decidiram ocupar o apartamento da família de Luciana, que estava alugado enquanto ela morava fora, mas há segredos no apartamento que podem surpreender o casal...

Sobre o autor:


Nascido em 1989. Graduado em Direito no Largo São Francisco e atualmente graduando em História na FFLCH. Autor de contos de diversas temáticas, principalmente terror e fantasia. Duas vezes ganhador do Prêmio Strix de Literatura, em 2018 pelo conto Recompensa e em 2019 pelo conto A Rocha e a Brisa, além de outras indicações.


Beijos!

Você também pode gostar desses posts:

2 comentários

  1. Oi, Aline tudo bem? Adorei a entrevista, ficou excelente. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Só você consegue sempre prestigiar nossa literatura nacional dessa forma e eu fico tão feliz em conhecer novos autores e novos trabalhos!!!!
    Ainda não conheço as letras do autor, mas adorei saber do processo de criação dele e sim, claro que deu muita vontade ler!!!
    Beijo

    Angela

    ResponderExcluir