ENTREVISTA COM AUTORES #105 | Autora Patricia Maiolini

by - terça-feira, fevereiro 02, 2021


1 - Como você percebeu que queria ser escritor(a)?
Na realidade, nunca pensei em ser uma escritora, sabe? Acabou acontecendo e sinto que nasci para isso. Desde criança eu criava histórias na minha cabeça, mas só as coloquei no papel aos 16 anos, com meu primeiro livro.

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livro(s)? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Até o momento, acho que é a Raquel, do meu conto "Também não posso ser capaz?". Ela foi inspirada em um caso real, que eu atendia como estagiária de Psicologia, na prefeitura da minha cidade. Ela simboliza a luta contra o preconceito de pessoas com deficiências, representatividade da cultura surda e com uma história de vida impressionante. 

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Eu comecei a escrever aos 13 anos, em um blog. Naquela época, era meu modo de desabafar, então era mais íntimo. Como escritora de livros, caí de paraquedas no Wattpad, aos 16 anos. O começo sempre é difícil, mas eu conquistei muitas coisas maravilhosas no meu primeiro ano, com muita persistência e dedicação. A escrita, para mim, sempre foi e sempre será muito importante, pois é como eu consigo me expressar e me permitiu crescer como pessoa e (quem sabe) futura profissional no ramo.
Como leitora, eu sempre tive acesso a livros. Minha tia me incentivava muito a ler, então desde pequena eu sou cercada por livros.

4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Não, na realidade eu não costumo fazer pesquisas antes de escrever. Eu pesquiso durante meu processo de escrita. Sou do tipo de autora que não gosta de planejar os detalhes da história.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Atualmente, a cobrança é menor. Porém eu recebia cobrança quase todo dia!

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação... Possui alguma mania na hora de escrever?
Por incrível que pareça, não me concentro com música. Preciso estar em um local silencioso e, de preferência, sozinha. Gosto de escrever à mão ou na máquina de escrever, pois me concentro melhor também e sinto que flui mais do que no computador, mas quando não há opção, eu uso o Word mesmo. Quando escrevo à mão, não uso lápis - risos -. Sempre preferi a lapiseira, então acho que poderia ser considerada uma mania: só escrever de lapiseira.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Meu projeto mais recente foi em um conto para a antologia O Buquê da Morte (Editora Sinna), que está em financiamento coletivo no Catarse para ser publicado.  É uma homenagem à Agatha Christie.
Pretendo continuar a escrita do meu livro de fantasia, que está parado devido à faculdade.

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores?
Gostaria de agradecer a todos que leram essa entrevista, que conhecem meus livros ou que se interessaram de alguma forma pelo meu trabalho. Gostaria de pedir para que valorizem a leitura nacional e incentivem os autores brasileiros, isso é muito importante para nós.

Sobre suas obras:


Sinopse: Corpos são apenas armaduras que protegem o que há de mais importante no mundo: nossos sonhos, sentimentos, alma e espírito. São essas coisas que nos tornam tão singulares ao mesmo tempo em que também tão similares, pois independente do sexo, orientação sexual, cor, raça, condição fisica e diversos outros fatores somos seres munidos da maior capacidade existente no universo, o poder de amar, porém não somente aquele amor de fora para dentro, que nos une com outras pessoas, mas também aquele que nos dá força para enfrentarmos o ódio e a ignorância mostrando que podemos ser o que quisermos e não apenas uma imagem errônea que criam sobre nós para suprir o medo que têm do que nos torna únicos.
São essas diferenças, semelhanças e até mesmo os ataques que recebemos e absorvemos, que nos deixam mais fortes e fazem com que nos tornemos um ser INQUEBRÁVEL. Aqui você encontrará histórias capazes de te fazer rir, chorar e acima de tudo se empatizar com a dor e superação daqueles que lutam corajosamente para vencerem paradigmas impostos por uma sociedade que quer nos categorizar, padronizar e limitar.

 
Sinopse: As gêmeas Charlotte e Katherina se mudam para uma bonita casa vitoriana próxima a faculdade. O que elas não imaginavam é que seriam as hóspedes de uma menina de apenas quatorze anos, falecida há algumas décadas. O que há por trás dessa anfitriã?
As gêmeas lutarão para sobreviver até descobrirem seu passado ou serão mais uma família vítima da Garota Sangrenta?

CINDERELAS - conto disponível em e-book na Amazon
Sinopse: Este livro não é sobre contos de fadas, embora fale sobre princesas. Não daquelas que usam tiaras, diamantes e pertencem à realeza. Infelizmente. As princesas deste livro são reais, porém nem todos as respeitam. Nestas histórias, que podem facilmente se confundir com a realidade, elas temem o escuro, temem estar sozinhas na calada da noite, temem seus supostos príncipes encantados. Neste livro ou neste mundo, essas princesas também são chamadas de MULHERES.
 

Sinopse: Atenção! Este conto pode causar gatilhos à pessoas sensíveis ao tema.
Muitas vezes, as dores e feridas físicas doem menos do que as psicológicas e emocionais. Não são as que ficam gravadas na pele que machucam, mas as que foram marcadas na alma. Vanessa, sofre com feridas invisíveis para as outras pessoas.
Marcas que a acompanham e machucam desde sua adolescência, quando conheceu um lado do ser humano que mostrou a ela que nem sempre o homem é o ser racional que habita nosso planeta.
 

Sinopse: Um bilhete, um diário, o que realmente há por trás dos alunos mais populares de um Colégio? Aos 17 anos, Marina Moura consegue uma bolsa para realizar seu sonho do intercâmbio em Toronto, Canadá. O que ela não esperava é que fosse obrigada a se enfiar em uma investigação para desvendar um assassinato e, menos ainda, que fosse ser a acusada pelo crime. Todos são suspeitos. Como confiar em alguém? Será mesmo que ela é inocente? Marina conseguirá se livrar da acusação? Ou o assassino será mais esperto? Era para ser o intercâmbio dos sonhos...

Sobre a Autora:

Patricia Maiolini Quaiatti é uma jovem escritora e graduanda em psicologia, nascida em Campinas - interior de São Paulo, em 4 de março de 1998. Apaixonada por livros desde criança, encontrou na escrita um refúgio e uma forma de se expressar. Em 2014, escreveu seu primeiro livro, O Mistério da Garota Sangrenta, e o publicou na plataforma Wattpad. É autora do livro "A Acusada" e também participou das antologias Cinderelas e Inquebrável, todos publicados pela Editora Sinna.


Gostaram da entrevista? Já leram algo da Patricia? Me conta!
Beijos!

Você também pode gostar desses posts:

21 comentários

  1. Oi, Aline. Tudo bem? Que entrevista adorável. Fascinante. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu amo essa coluna. Esse jeito de poder conhecer um pouco mais sobre nossos autores e autoras nacionais.
    E olha as capas dos livros dessa mulher?! Que coisa mais linda!!!
    Adorei!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Angela! Fico muito feliz que tenha gostado das capas dos meus trabalhos. Obrigada.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Oi, Monyque! Muito obrigada, fico tão feliz por gostar do meu trabalho ❤️

      Excluir
  4. Adorei a entrevista e me interessei bastante já quero ler as obras da autora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii, Micaella! Fico muito feliz por ter se interessado. Espero que goste das minhas obras.

      Excluir
  5. Bela entrevista!
    Os livros parecem ser maravilhosos

    ResponderExcluir
  6. Eu já li o conto "Feridas do passado" e a escrita da Patricia é incrível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz com esse tipo de comentário. Muito obrigada ❤️

      Excluir
  7. Amei a entrevista. Eu também tenho esse lance com a lapiseira desde dos tempos de escola...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkkkk eu sempre preferi a lapiseira. Lápis me dá uma gastura...

      Excluir
  8. Adorei a entrevista! Já li o conto “Feridas do Passado”, não vejo a hora de ler mais coisas dela! 😍

    ResponderExcluir
  9. Adorei a entrevista ja li dois últimos do post e já estou ansiosa pra começar outro... parabéns pela escrita

    ResponderExcluir
  10. Amei essa entrevista, muito bom saber um pouco mais do autor. Ainda não li nada da autora mas tenho baixado no Kindle, só falta começar a ler. Mas já sei que vou gostar e muito.

    ResponderExcluir
  11. Gosto muito da forma que a Patrícia escreve e o livro que sem dúvidas me fez amar mais ainda a forma que ela escreve foi FERIDAS DO PASSADO... inclusive ameii a entrevista.

    ResponderExcluir