13 outubro, 2018

ENTREVISTA #43 | Autor Emanuel Stingelin Dornelles


1 - Como você percebeu que queria ser escritor?
Eu sempre fui uma criança com muita criatividade nas minhas brincadeiras, então, tudo envolvia alguma história. Foi ao conhecer uma amiga minha escritora que despertei essa vontade em mim, porque ela disse que eu deveria escrever se tinha vontade, e eu tinha! Com a ajuda dela, todo o universo da escrita se abriu diante dos meus olhos e eu não tive escapatória! hahaha

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livros? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Normalmente, tenho personagens favoritos diferentes para cada época da minha vida. Depende do que eles significam na história, do que eles fazem e se aquilo está fazendo sentido para mim na hora. É meio confuso, mas sou uma pessoa de vais e vens. Porém, para Sacrificar, tenho a Jean Beleneath que representa muita coisa boa, seu idealismo, sua nostalgia, seu coração puro são características que me fazem escrevê-la bem.

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Acho que a palavra que mais define isso é "natural". Eu comecei a ler muito cedo por incentivo dos meus pais e também da escola mais tarde. E ao perceber que os jogos que eu também sempre gostei tinham histórias muito amplas, também acabei sendo incentivado a desenvolver as minhas próprias. Aliando essas duas coisas, o universo me presentou com minhas histórias.


4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Sim, muitas! E ainda assim, considero que poderia ter pesquisado mais, mas como a Trilogia Cordas do Infinito ainda se expande, continuo a pesquisar. Para Sacrificar, as pesquisas mais recorrentes eram as históricas. Por ser uma história ligada a Santa Inquisição, eu precisei entender melhor esse contexto e tentar conectar com os elementos de CdI. Levou um tempo para tudo sair do jeito que eu queria, e sigo pesquisando mundos, criações e diversas fontes para sempre melhorar o que escrevo.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Menos até do que eu imaginava que teria! Descobri que os meus leitores são em maioria silenciosos e não falam comigo sobre o livro, mas já recebi alguns pedidos pela continuação, o que ajuda a incentivar no processo de criação dessa trilogia. Ainda acredito que as maiores cobranças são internas hahaha

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação.. tem alguma mania na hora de escrever?
Meu processo criativo tem mudado bastante desde as minhas primeiras histórias que escrevia em 2011 para agora devido ao amadurecimento da minha escrita. Eu não costumava planejar e só ia escrevendo, o que me rendeu algumas histórias sem fim ou até mesmo sem meio! Atualmente, tenho tentado mudar isso já que gastei muito tempo na revisão de Sacrificar por conta de ter planejado pouco. Tenho tentado escrever alguns guias para melhor entender sobre como o universo da trilogia funciona e deixar tudo bem redondinho. Contudo, eu sou um escritor muito movido pela inspiração e sem disciplina alguma! haha Quando estou inspirado consigo escrever muito, mas dificilmente consigo forçar o processo. Tudo tem que vir naturalmente, como se a deusa das cordas estivesse murmurando ao meu ouvido.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Não sendo relacionado a escrita, pretendo terminar minha graduação em Engenharia Química que tem consumido boa parte de meu tempo e disposição, e conseguir terminar os próximos livros da Trilogia Cordas do Infinito para mostrar tudo que estou criando com bastante planejamento e estudo. Espero que tudo isso ocorra num período de no máximo médio prazo, preferencialmente logo hahaha

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores?
Para você, gostaria de dizer para continuar com as ótimas resenhas e a tratar bem seus porquinhos da índia, que eles são figurinha carimbada do blog! Para meus futuros leitores, deixo meu convite para conhecerem mais sobre as Cordas do Infinito, porque estou trabalhando muito em trazer o melhor para vocês! Aumentar a diversidade dos mundos a serem explorados está sendo meu maior objetivo e espero que vocês se aprofundem nesse universo que me enche de orgulho. E por favor, podem falar comigo, eu amo feedback e garanto que não mordo! hahaha Unam-se às Cordas do Infinito!

Sobre o Autor:

Emanuel Stingelin Dornelles é um paranaense que sempre teve uma imaginação muito fértil devido aos incentivos à leitura recebidos de sua família desde muito cedo. Suas brincadeiras na infância sempre envolveram histórias mais complexas e aos quatorze anos, em 2011, veio o impulso necessário para colocar todas essas ideias em palavras. Atualmente, cursa Engenharia Química na UTFPR e divide seu tempo entre as letras e os números.






Sobre sua Obra:

Sinopse: Imagine-se sendo ofertado como sacrifício. Existiria uma vontade em si de deixar tudo para trás por um bem maior? Imagine-se ainda ofertando alguém querido em sacrifício. Existiria coragem para viver sem essa pessoa? Um Papa foi assassinado brutalmente por uma poderosa instituição de bruxos gerando retaliações por parte dos clérigos que, finalmente, instituíram a Santa Inquisição como lei e juraram morte a todos eles. Vinte anos se passaram desde o ataque em Notre-Dame e jovens bruxos são confrontados com a nova realidade que precisa de seus sacrifícios. Sem eles não haverá salvação para a raça.






Gostaram? Me conta aqui nos comentários. 

Beijos!

8 comentários:

  1. É interessante a história do autor, algumas coisas que ele falou na entrevista eu me indentifiquei com ele hehe. Já havia visto a capa do livro dele, mas confesso que passei a conhecer a obra dele e ele através do seu Blog Aline, gosto muito das suas indicações hehe. ��

    ResponderExcluir
  2. Comecei a acompanhar o trabalho e a conhecer um pouquinho dele, aqui pelo blog. Por isso, cada vez mais penso que todos os blogs de literatura, deveriam se abrir um pouco mais a autores nacionais. Tanta coisa boa escondida por aí.
    Sorte a nossa aqui no blog né?rs
    Adorei "ver" um pouquinho sobre como o autor foi jogado literalmente neste universo das letras, apesar de ver que isso já vivia dentro dele, só precisava de um incentivo.
    Espero poder conferir os trabalhos dele em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Eu não conhecia o autor, achei bastante interessante a entrevista e o seu livro, com certeza deve ser um livro com aquelas histórias de tirar o fôlego. Espero ter contato com a obra do autor em breve.

    ResponderExcluir
  4. Bacana conhecer mais sobre o autor, que apesar das correrias do dia a a dia ele conseguiu escrever, que é algo que gosta!! Eu adoro ler, as vezes tenho vontade de escrever algo tambem, quem sabe mais para a frente!! A sinopse do livro me chamou muita atenção, gosto de histórias com um bom suspense e essa ainda envolve religião pelo visto, sem dúvidas uma ótima leitura.

    ResponderExcluir
  5. Interessante saber mais sobre o autor e sua obra, que parece ser muito boa e gera questionamentos. Achei legal essa dedicação dele de estar terminando a graduação que deve ser uma correria e tanto e ainda tem disposição para continuar escrevendo os próximos livros.

    ResponderExcluir
  6. Que entrevista legal! Não conhecia o autor, mas fiquei curiosa para conhecer seu trabalho. Pelas respostas parece ser um pessoa bem carismática.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o autor, nem a obra, adorei esse quadro que entrevista o autor."personagens favoritos diferentes para cada época da minha vida" me identifiquei demais haha

    ResponderExcluir
  8. Concordo totalmente com eles, os seus porquinhos da índia são sua marca registrada, não conhecia o autor nem suas obras (e isso é maravilhoso a crescente de autores brasileiros), acho que não deve ser fácil ser um iniciante escritor brasileiro, mas sucesso para o autor e para o seu blog tb!

    ResponderExcluir