09 dezembro, 2018

ENTREVISTA #45 | Autor Diogo Cavalli


1 - Como você percebeu que queria ser escritor?
Acredito que o primeiro passo foi ver que eu gostava de criar histórias. Desde os 11 anos eu tinha algumas ideias anotadas, e quando minha sobrinha passava os sábados lá em casa, pegávamos essas ideias e criávamos brincadeiras a partir dos personagem e nisso vinham capítulos completos que eram anotados. Vendo que brincar de criar histórias poderia dar certo comecei a me dedicar mais a escrita e foi assim que pensei em investir como escritor, e anos depois veio a coragem de publicar e estou conseguindo cumprir a meta de publicar um livro por ano.

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livro(s)? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Com certeza eu tenho um carinho muito grande pelo Raiden, personagem da minha trilogia Criaturas Dimensionais, por que ele cresceu comigo, carrega muito de mim e também muito do que eu gostaria de ser, é um personagem que se joga nas aventuras, justo. E foi uma das trilogias mais leves e gostosas de escrever. Outros personagens que estão no topo dos favoritos são Roderic e Over, da Série Sexta-feira 13, os dois foram personagens que tomaram as rédeas do livro e me ajudaram a contar a história deles, são personagens que se apoiam e cresceram juntos e isso reserva um lugar no coração desse autor. Mas acredito que todo o autor admira todos os personagens que cria e todos eles tem algo de si e o tocam de alguma forma.

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Foi uma aventura, é preciso coragem para dar o primeiro passo e quando comecei em 2016 não conhecia muito como funcionava o meio literário e fui dando passos lentos. Fui incentivado por amigos a publicar, me foi indicado uma editora e ai que comecei a descobrir os processos para que as ideias saíssem do papel. E tudo está sendo uma evolução positiva, conheci a Editora Xeque-Matte ano passado e ela me mostrou um nível novo de profissionalismo e cuidado com meu projeto, aprendi muito com eles em todos os sentidos.

4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Sim, faço muita pesquisa, e isso começa por coisas extremamente simples do dia a dia e principalmente quando inclui fatos históricos na narrativa, como foi o caso de “Roderic, o caçador”. Pois incluir um personagem em um plano real, sem parecer forçado, é uma tarefa árdua. Mas é uma etapa que adoro e aprendo muito. Minha formação em História me instiga a pesquisar e querer saber mais sobre tudo e isso é muito bom.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Sempre existe uma cobrança, principalmente pelo fato de eu escrever séries e eles quererem sempre saber mais. Esse fato eu consigo controlar um pouco, pois sempre dou um fechamento bom para cada livro, não deixando muitas pontas solta. Eu acredito também que uma grande cobrança é imposta por mim mesmo, pois sempre quero estar adiantado e com mais um livro pronto na gaveta.

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação.. tem alguma mania na hora de escrever?
Minha forma de criação varia bastante de livro pra livro, mas geralmente segue assim: eu imagino a história, a separo em capítulos, e em momentos de inspiração pego o gravador do celular e começo a interpretar a história (já fiz áudios de 30 minutos haha) depois reservo um tempo, ouço os áudios e escrevo tudo no papel, feito isso coloco uma música no notebook e passo tudo pra tela. Depois tem a parte de complementar a história, reescrever, revisar. Minhas manias penso que são a interpretação de cenas e escrever ouvindo música, sem isso meus livros não vão pra frente e acabo perecendo no bloqueio criativo.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Meus projetos futuros incluem publicar as sequência da tetralogia Sexta-feira 13, o livro 2 já está escrito e estou em processo de escrita do livro 3. E também a publicação do terceiro livro da trilogia Criaturas Dimensionais, em uma nova edição, com box e tudo mais. Mas os planos sempre estão em constante amadurecimento.

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores?
Gostaria de agradecer esse espaço e dizer que estou muito feliz em participar do blog, e feliz em dobro por ter conhecido a Aline no lançamento do “Roderic” em Marau-RS. O meio literário é uma luta frequente e ao mesmo tempo é incrível, pois, nos presenteia com tantas pessoas pelo caminho. Aos leitores gostaria de agradecer quem já me acompanha e convidar quem ainda não me conhece para conhecer meus trabalhos e visitar meu instagram @cavallidiogo, onde costumo postar novidades. E dizer que sempre que quiserem conversar e tirar dúvidas podem entrar em contato, é sempre um prazer discutir sobre meus projetos e falar horas e horas sobre o universo dos livros! J


Sobre o Autor:

Diogo Cavalli nasceu no Rio Grande do Sul, é formado em História e com isso busca utilizar esse conhecimento no mundo da escrita e tornar seus enredos ainda mais instigantes e dinâmicos onde haja emoção a cada momento, leitor voraz, viciado em séries, filmes e tudo mais que lhe traga inspiração e conhecimento. É autor da trilogia Criaturas Dimensionais, com os livros “A Placa Mística”(2016); e “A ilha do Combate” (2017), ambos pela Editora Est Edições; E da tetralogia Sexta-feira 13 com o primeiro livro “Roderic o caçador” (2018) publicado pela Editora Xeque-Matte. Em antologias participou da Antologia “Canção das Profundezas” da Editora Xeque-Matte com o conto “Uma Paixão Traiçoeira” (2018).



Sobre Roderic o caçador:

Sinopse: Criado desde muito pequeno por um padre, Roderic comete o maior erro da sua vida ao deixar que seus amigos o convençam a realizar o “jogo do copo” no interior da igreja que ele cuida. Uma Sexta-Feira 13, um copo consagrado, um corte acidental, uma gota de sangue sobre o tabuleiro, abrem um portal para Mition, a dimensão dos monstros, e com isso lendas há muito esquecidas ressurgem diante dos olhos dos garotos.
Após serem banidas deste local sagrado, fogem para outros portais e desaparecem. No entanto, a verdade era outra, as criaturas mantinham-se soltas entre o passado e o futuro, ou seja, pontas soltas em uma linha temporal existente entre os portais, que a qualquer deslize poderia ser mudada, comprometendo o destino de toda a civilização. O único capaz de caçá-los será o próprio Roderic, o herdeiro dos caçadores de monstros que há muito tempo realizaram essa tarefa. Seu sangue os libertou, e entre dor e suor ele os deverá caçar.
A mercê de monstros sanguinários que espreitam tanto na luz quanto na escuridão, Roderic encontrará ajudas bem inesperadas, que exigirão dele muito discernimento em qual decisão tomar...

Beijos!

22 comentários:

  1. Parabéns pela entrevista Aline. Adorei!
    Não conhecia o autor, e nem as obras dele. Amei conhecer.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, adorei conhecer um pouco mais do trabalho de Cavali. Suspeito que a graduação em História ajuda em muito no processo criativo durante a escrita, sem contar que essa técnica de gravar a narração enquanto escreve é bem exótica deve proporcionar uma nova perspectiva para avaliar o trabalho. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Bacana a entrevista é muito gratificante ver que o mercado de literatura brasileira está trazendo autores tão talentosos, ainda não o conhecia, mas conheci o livro pela outra postagem, mas a série sexta-feira 13 não me é estranha devo ter lido em algum lugar! Assim como disse antes 2019 me aventurarei no gênero! Só pelas resposta por ele dada já percebemos o nível de carisma! Sucesso a você Diogo e a vc tb Aline!
    https://coisasdeanalima.blogspot.com
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Que ótima entrevista!
    É muito legal ver que cada autor tem um ritmo, uma maneira de criar...
    Sucesso para o Diego.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro este lance de ter uma oportunidade de poder conhecer um pouco do trabalho de algum autor!Seu jeito de construir os enredos e de como se jogou neste universo literário!!!
    Ainda não pude ler nada do autor, mas com certeza, vou procurar, até por amar o gênero e amar literatura nacional!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Muito interessante saber sobre o autor, principalmente como surgiu a vontade de escrever. Achei legal ele ouvir musica para escrever, adoro músicas e com elas tudo fica melhor. A obra do autor chamou minha atenção adoro historias com portais e criaturas.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns para o autor

    É bom quando a gente percebe que o autor se diverte com o que faz e se empenha bastante. Ele por sinal faz parecer ser até fácil escrever kkkk. Imagino essa pressão pelo fato de escrever series, leitor não é fácil.

    ResponderExcluir
  8. Olá Aline e Diogo!
    Acho tão bacana quando o autor faz pesquisas para criar as histórias, isso mostra um cuidado em deixar tudo mais real para o leitor e é sensacional! Imagino que ser formado em História te ajuda um pouco, não? Muito legal também o fato dele interpretar as cenas para escrever. Não conheço ainda sua escrita Diogo mas assim que tiver a oportunidade irei ler alguma obra.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Que legal esta entrevista, adorei conhecer o autor. Tenho o sonho de ser escritora tambem e me identifiquei em algumas partes que ele fala do processo de escrita. Eu ainda tenho que me organizar e pesquisar bastante antes de realmente escrever um livro, sei o quando a pesquisa, anotações e ideias são importantes.
    Achei incrível a ideia de entrevistar autores que não conhecemos tanto.

    Beijos,
    www.garotaeraumavez.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Adorei a entrevista!!
    Fico tão feliz quando vejo nossos autores recebendo o devido reconhecimento. São tantos autores talentosos, que merecem sucesso.

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. O jogo do copo me parece uma versão BR do tabuleiro ouija kkk
    Gostei muito da entrevista e de conhecer um pouco mais sobre o Diogo e seu processo criativo. E gostaria de parabenizá-lo por conseguir escrever um livro por ano, não é pra qualquer um.

    ResponderExcluir
  13. Sensacional esta maneira de criar gravando áudios e passando tudo para o papel. Vou aderir!

    ResponderExcluir
  14. Também curti a ideia de criar usando áudios. Uso gravações para estudar, mas nunca havia pensando em recorrer a elas para a escrita. Admiro pessoas que conseguem escrever ouvindo música. Sucesso para o autor!

    ResponderExcluir
  15. Um autor jovem e que já traz consigonim grande sucesso, pelo fato de escrever histórias divididos em varios livros já é um grande desafio e imagino que con isso,mais cobrança em relação as tramas!!!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Aline!!
    Gostei muito de conhecer o Diogo Cavalli, achei a entrevista bem bacana e desejo muito sucesso para o Diogo, pois estamos precisando de mais reconhecimento para nossos autores brasileiros.
    Bjos

    ResponderExcluir
  17. Gente! Até pouco tempo atrás eu não sabia que existia fantasia nacional. Recentemente eu li Rafapel Draccon, mas antes dele eu realmente não conhecia absolutamente nenhum autor de fantasia nacional. Muito legal saber que há mais, e seguir conhecendo e aprendendo. Estou especialmente curiosa sobre o "Criaturas Dimensionais" - mas bem que seria bom uma resenha de vocês pra gente conhecer mais :)

    ResponderExcluir
  18. Não conhecia o Diogo Cavalli, mas adorei saber um pouco mais da sua aventura literária. É possível perceber o quanto o autor se entrega e gosta do que faz por suas palavras, a cada resposta entregue. Vou pesquisar um pouco mais e me aventurar nas suas obras.

    ResponderExcluir
  19. Estava sentindo falta das entrevistas todo domingo aqui no seu blog Aline, acho fera a ideia de conhecer mais nossos autores e suas obras. As perguntas são muito boas, sempre leio primeiro a que você pergunta sobre alguma mania na hora de escrever.
    Desejo muito sucesso ao autor e estou ansioso para ler a resenha do livro dele
    vlw

    ResponderExcluir
  20. Olá,
    Sempre vejo os autores falando que o processo de entrada no mundo literário não é fácil, por isso digo que devemos valorizar, principalmente a nossa literatura. Só pelas palavras do Rodrigo vemos seu carinho e cuidado ao montar uma história, amei saber como ele pesquisa e desenvolve os seus enredos através disso!
    Parabéns, e sucesso <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Sucesso ao Diogo que venham mais e mais livros, muito legal vê como ele desenvolve suas histórias e comprometimento com as mesmas, já quero conhecer mais a fundo seu trabalho.

    ResponderExcluir
  22. Gostei da entrevista, não conhecia o autor, me lembro que o livro dele apareceu em alguma postagem do blog.
    Conheço uma escritora que também usa essa tática de gravar áudios. Espero que o Diogo Cavalli tenha bastante sucesso com suas séries e que conquiste seus sonhos

    ResponderExcluir

Copyright © 2019 | Design e Código: Sanyt Design | Uso pessoal • voltar ao topo