RESENHA | Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

by - quarta-feira, julho 29, 2020


Título: Tudo e Todas as Coisas
Autor(a): Nicola Yoon
Editora: Arqueiro
Páginas: 280
Gênero: Drama / Ficção / Jovem adulto / Literatura Estrangeira / Romance
Ano: 2017


Tudo e Todas as Coisas foi uma leitura surpreendente, eu estava com muitas expectativas em relação a esse livro e foi ainda melhor do que imaginei.

Madeline Whittier tem uma doença rara, conhecida como 'doença do bebê que vive na bolha', ou seja, ela é alérgica ao mundo, sim, ela está há 17 anos sem sair de casa, ela tem contato com bem poucas pessoas, ou melhor, ela só tem contato com a sua mãe e sua enfermeira Carla, se outra pessoa quiser entrar na casa de Madeline precisa passar por exames, e uma descontaminação, e o mais importante, não pode tocar em Madeline.


Madeline passa a maior parte do tempo em seu quarto, e é leitora gente (me encantei por ela logo que descobri isso haha), ela faz resenhas no Tumblr, faz alguns jogos com sua mãe, assiste filmes, até que um dia chega um caminhão de mudanças na casa ao lado. Ela deixa a curiosidade tomar conta e vai até a janela, observa a nova família que está se mudando, mas alguém chama mais a sua atenção, alguém que mais para frente vai se tornar muito importante para Madeline, seu nome? Oliver, ou melhor, Olly.


Madeline é a melhor espiã do mundo, começa a observar os novos moradores, e fica cada vez mais intrigada com Olly, vê os problemas familiares dele, e sabe a rotina de todos da família de Olly, tudo isso da janela do seu quarto. 
Mas Madeline não pode sair, e Olly não pode entrar, como isso vai acabar?!

"Se você não têm do que se arrepender, é porque não está vivendo."

Quero começar dizendo que eu fui completamente surpreendida por esse livro, estava com muita vontade de ler ele a algum tempo, estava com as expectativas lá em cima, e no final foi ainda melhor do que eu esperava, eu achava que era mais um livro que a protagonista está doente, e isso ia tomar conta de todas as páginas do livro, mas NÃO, é totalmente ao contrário, Madeline é uma personagem forte, que não deixa a doença que tem a abater, eu fico me imaginando no lugar dela e eu surtaria, imagina não poder sair de casa, não poder conversar com outras pessoas pessoalmente, viver sempre da mesma forma e na mesma rotina, mas isso não abate nossa protagonista, ela se faz cada vez mais forte, não só por ela, mas também pela sua mãe que é totalmente dedicada a ela.
O romance no livro também acontece de forma leve, o leitor consegue sentir o que os personagens estão sentindo e isso é incrível, nada foi exagerado, a autora arrasou na escrita, e já quero ler mais livros dela.
A autora também colocou assuntos como brigas familiares, alcoolismo, perdas familiares, e muito mais. Mas tudo se encaixando perfeitamente na história.

"A teoria do caos diz que a menor das alterações nas condições iniciais pode provocar resultados totalmente imprevisíveis. O bater das asas de uma borboleta pode provocar o vento que se torna um furacão."

Todos os personagens cativam o leitor de alguma forma, Madeline, Carla, e Olly são meus favoritos.
E gente, que final foi aquele? Uma reviravolta total, que me deixou sem chão. Só senti que o final foi muito rápido, eu queria mais, mais explicações, queria saber o que aconteceu depois, mas não deixou de ser um final e tanto.

Referente a edição da Arqueiro, a capa está linda (edição com a capa do filme), as letras de bom tamanho, a leitura fluí de forma agradável, tem bastante imagens dentro, desenhos, passagens de avião, resenhas da Madeline, gráficos, mensagens, troca de e-mail, e oito páginas com fotos do filme. 

Você vive ou apenas existe?
Me conta aqui nos comentários se já leram o livro, ou se leriam.
Beeeeijos!

Você também pode gostar desses posts:

6 comentários

  1. É... A princípio, desperta curiosidade.

    ResponderExcluir
  2. Eu sei que mesmo que ninguém entenda, eu existo e vivo. Sei lá, tal qual a menina, nessa espécie de bolha e mesmo que por muitas vezes, não seja minha culpa, é algo que aprendi a gostar. Ninguém vai entender rs
    Eu não li esse livro,mas eu vi a adaptação e adorei na época!!! A gente passa a entender todos os personagens, até a mãe e olha que isso é difícil rs
    Espero ainda, ler sim!!!
    beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo, sou assim também.
      Não consigo entender a mãe não hahaha, mas adorei a adaptação também; essa edição está linda <3
      Beijos!

      Excluir
  3. Olá, Aline.
    Eu nem li o livro nem assisti o filme ainda. Depois de ACEDE eu meio que dei um tempo de livro onde um dos protagonistas tem alguma doença. Mas só vi elogios a ele até agora.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil, tudo bem?
      Espero que possa conhecer o quanto antes, ele vai muito além. Eu adoro ACEDE <3
      Beijos!

      Excluir