ENTREVISTA COM AUTORES #95 | Autor Walter Niyama

by - quinta-feira, outubro 15, 2020

 

1 - Como você percebeu que queria ser escritor(a)?
Ah, eu creio que foi por volta dos meus quinze anos. Eu tinha muito interesse pelas artes, especialmente desenho e ilustração, mas acabei optando pela escrita por considerar um meio que eu poderia me sair melhor. Desde os meus dez anos eu era viciado em ler, para qualquer lugar que eu fosse eu levava um livro comigo.

2 - Tem algum personagem favorito? Em modo geral ou do seu(s) livro(s)? Se sim, por quê? O que ele significa para você?
Um dos meus personagens favoritos na literatura é Tyrion Lannister, sem sombra de dúvidas. Irônico, engraçado e estrategista, isso é uma marca de George R. R. Martin, criar personagens que vão além do que os outros acham que eles são capazes, seja por status, corpo físico ou aparência. E uma das minhas personagens que tem uma história parecida nesse sentido, e até uma cicatriz no rosto, é Hester Shaw, de Mortal Engines. Uma grande personagem e referência. Dos meus livros, eu acho que dos livros que publiquei até agora, não digo que seja o meu favorito, mas um dos mais divertidos de se trabalhar é o Saulo Rosenberg, de O Mistério dos Suicidas.

3 - Como foi para você, entrar no mundo literário?
Foi um momento de grande entusiasmo, expectativas altas. Tive sorte também de encontrar pessoas bastante acolhedoras e gentis. Hoje, percebo também que estava cheio de dúvidas, ainda estou, a única diferença é que hoje eu tenho noção disso (rs). É um mundo que sempre tem algo para ser desbravado.
 
4 - Você faz muitas pesquisas antes de escrever uma história?
Quando eu comecei minha trajetória eu fazia pesquisas bastante pontuais e rasas. Até pela história que eu escrevia. Hoje, que eu pretendo fazer histórias mais elaboradas, ou que explorem certas coisas como desenvolvimento de civilizações, guerras, política, filosofia, é necessário fazer uma pesquisa antes de começar a escrever. De fato, hoje eu percebo como uma boa pesquisa pode influenciar bem no produto final.

5 - Existem muitas cobranças por parte de seus leitores?
Honestamente eu ainda não cheguei no nível de ter leitores me cobrando (rs), mas alguns leitores, com quem tenho mais proximidade, já me apontaram pontos em que posso melhorar. Antigamente eu admito, era uma pessoa um tanto quanto orgulhosa, mas hoje sei aceitar as críticas e refletir sobre elas. Querendo ou não, visto que a perfeição é impossível, sempre existirá algo a ser melhorado. Então eu quero saber onde eu posso melhorar. Esses conselhos são valiosos.

6 - Fale um pouco sobre sua forma de criação... Possui alguma mania na hora de escrever?
Como muitos eu gosto de escrever ouvindo música, tenho várias playlists e canções certas para determinados tipos de cena em que trabalho, seja ela uma batalha épica ou uma despedida de duas pessoas que se amam. Mas antes disso, para eu ter uma ideia de uma história, normalmente meu cérebro fica matutando uma ideia e esse processo pode levar de dias até meses até que eu finalmente tenha o insight para a história nova que eu quero produzir. E enquanto eu matuto, eu não fico me concentrando só nisso. Fora outras coisas da vida, como tarefas e vida social, eu também consumo outros livros, filmes, séries, animes, desenhos, quadrinhos, vídeos, ainda mais em tempos de isolamento social. Tudo é uma potencial fonte de inspiração.

7 - Quais são seus projetos para um futuro próximo?
Estou planejando publicar um novo livro. Também tenho um projeto de histórias em quadrinhos. Por enquanto nada está muito definido. Mas acho que assim que a pandemia acabar ou for mais seguro sair por aí, eu vou voltar a participar de eventos literários e também ver com a Hope a possibilidade de fazer um evento para o lançamento do meu último livro, Anos Atrás - Uma História de Santiago Valentim, que já está disponível no site deles. Estávamos conversando sobre isso no início do ano quando a pandemia começou.

Gostaria de deixar algum recado para os leitores do Lost Words, e para seus futuros leitores?
Tempo é algo precioso. Como uma pessoa que eu admiro e respeito disse uma vez, tudo pode ser reconquistado, exceto o tempo. Aproveite ele. Mesmo quando não estiver sendo "produtivo", aproveite o descanso que só o tempo livre permite. Reflita e pense bem seus próximos passos. Decisões de vida. Sonhos a serem seguidos. E quem for querer entrar no mundo literário, tenha a noção de que é preciso ser humilde, algumas coisas só conseguirá aprender na prática, e lembre-se que pedir ajuda ou conselhos não é um inconveniente. E sim o começo de uma parceria ou de uma boa relação entre dois colegas do mesmo ramo. 

Sobre suas obras:


Sinopse:
Jânio tem a capacidade de ler a mente das pessoas, um dom que ele descobriu conforme foi amadurecendo. Sua irmã, Jandira, descobriu sua habilidade para controlar as ações das outras pessoas de maneira acidental quando sua vida estava em perigo. Agora, ambos tentam se passar por pessoas normais enquanto estudam para se formar no prestigiado Instituto de Ensino e Aprendizagem Assis Alencar, um internato na pacata cidade de São Álvaro.
A cidade começa a ter uma onda estranha de suicídios que parecem ocorrer de forma aleatória com pessoas sem motivo algum para tirar suas próprias vidas.
Saulo Rosenberg, um jovem investigador paranormal focado no estudo de fantasmas, acha que ali pode haver uma oportunidade. Alvo de zombaria tanto por indivíduos de fora como por membros do círculo de investigação e pesquisas sobrenaturais, ele espera encontrar uma forma de dar a volta por cima.
Rosenberg terá a ajuda de Maiara, uma moça capaz de sentir a presença de espíritos, e de Ícaro, um rapaz que perdeu a mãe recentemente e aceitou participar dessa jornada em troca da ajuda de Saulo para entrar em contato com sua falecida mãe.
Seja pelo destino ou por qualquer outra coisa, todos eles e mais outros personagens com suas próprias histórias, dramas e receios, acabarão se encontrando nessa cidade que será palco de acontecimentos extraordinários. - COMPRE AQUI


Sinopse: Os pesadelos são causados por monstros que habitam um mundo paralelo ao nosso. Eles invadem os sonhos, mexem com as mentes e podem levar as pessoas à loucura e até mesmo a algo pior. Para combatê-los, atuam em segredo os guardiões, uma antiga organização que existe desde os primórdios da humanidade protegendo a todos, mesmo que ninguém saiba disso.
Bruna Sales de Lima foi convidada por Edmundo, um estranho garoto que apareceu para ela em seu sonho, a se juntar aos guardiões. Ao Clã Antipesadelo. A garota terá que decidir se quer se juntar ao grupo ou não, e essa decisão vai ficando mais difícil conforme vai descobrindo mais sobre os monstros, os sonhos e a própria ordem.
Uma coisa é certa, a vida dela nunca mais será a mesma. - COMPRE AQUI


Beijos!

Você também pode gostar desses posts:

2 comentários

  1. Oi, Aline tudo bem? Que entrevista interessante. Adorei. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu admiro demais você por sempre estar nos presenteando com autores que a gente não tem tanto conhecimento.
    E olha que ser formos vasculhar a nossa rica literatura nacional, tem coisa boa demais e olha aí a prova disso!!!
    Parabéns por mais essa entrevista maravilhoso e por nos permitir conhecer mais um pouco do autor!!!!
    Beijo

    Angela

    ResponderExcluir