15 abril, 2019

RESENHA | O Construtor de Pontes - Markus Zusak

Título: O Construtor de Pontes
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 528
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance
Ano: 2019
Skoob
Nota: 5/5 + favorito
Livro cedido pela Editora
Sinopse: Se em A menina que roubava livros é a morte quem conta a história, em O construtor de pontes, novo romance de Markus Zusak, presente e passado se fundem na voz de outro narrador igualmente potente: Matthew, o filho mais velho da família Dunbar. Sentado na cozinha de casa diante de uma máquina de escrever antiga, ele precisa nos contar sobre um dos seus quatro irmãos, Clay. Tudo aconteceu com ele. Todos mudaram por causa dele. Anos antes, os cinco garotos haviam sido abandonados pelo pai sem qualquer explicação. No entanto, em uma tarde ensolarada e abafada o patriarca retorna com um pedido inusitado: precisa de ajuda para construir uma ponte. Escorraçado pelos jovens e por Aquiles, a mula de estimação da família, o homem vai embora novamente, mas deixa seu endereço num pedaço de papel. Acontece que havia um traidor entre eles: Clay. É Clay, então, quem parte para a cidade do pai, e os dois, juntos, se dedicam ao projeto mais ambicioso e grandioso de suas vidas: uma ponte feita de pedras e também de lembranças — lembranças da mãe, do pai, dos irmãos e dele mesmo, do garoto que foi um dia, antes de tudo mudar. O tempo, assim como o rio sob a ponte, tem uma força avassaladora, capaz de destruir, mas também de construir novos caminhos. O construtor de pontes narra a jornada de uma família marcada pela culpa e pela morte. Com uma linguagem poética e inventiva, Markus Zusak nos presenteia mais uma vez com uma história inesquecível, uma trama arrebatadora sobre o amor e o perdão em tempos de caos.
A Menina que Roubava Livros é um dos meus livros favoritos, minha paixão pela escrita e história é enorme. Quando fiquei sabendo desse lançamento, contei os minutos para poder ler, e as expectativas estavam altas; agora posso afirmar que cada minuto de espera valeu a pena. O Construtor de Pontes apresenta uma história fascinante. 

Cinco irmão vivem na rua Archer, após a morte da mãe e o abandono do pai, eles estão sozinhos. Entre as brigas e as responsabilidades, e um assassino que está mais perto do que nunca. Cinco irmãos, e cinco animais de estimação. Um drama familiar, em que cada um lida com o luto/morte de uma forma diferente. 

Um dia, inesperadamente o pai dos meninos retorna, pedindo ajuda para construir uma ponte perto do lugar em que mora, os garotos se recusam a ir, a mágoa que eles possuem do pai é profunda, e cresceu muito nesses anos de abandono. Mas um dos irmãos aceita: Clay. 


Matthew, o irmão mais velho vai contar a história de Clay, o 4º filho da família Dunbar. Clay guarda um segredo, e na construção dessa ponte verdades e lembranças voltam à tona. 

O Construtor de Pontes é narrado em segunda pessoa, e não é uma história com acontecimentos arrebatadores, mas tudo se encaixa de forma sublime. A escrita de Zusak é poética e transparente. Relata muito bem a pobreza e a tragédia da família Dunbar, mas também retrata a beleza. Um livro complexo, com personagens profundos, onde passado e presente se misturam. O leitor vai conhecer a história dos pais dos meninos, como se conheceram, até o momento do assassinato e a construção da ponte. 

Eu ri em alguns momentos, mas a dor dessa história me fez chorar inúmeras vezes. 

Uma história comovente, mas doce; Sobre o amor, o perdão, a morte, e uma ponte. 
Assim como A Menina que Roubava Livros, O Construtor de Pontes é um livro que ou você ama ou odeia, e mais uma vez eu amei uma obra desse autor. Não desista da leitura, o começo pode parecer confuso e maçante, mas se deixe levar pelas entrelinhas e descubra o quanto esse livro tem a oferecer.

Beijos!



10 comentários:

  1. Já estava querendo esse livro, depois dessa resenha só posso dizer que desejo ainda mais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. O lançamento da vez!!Não vejo a hora de poder conferir. Meu exemplar chegou esta semana e que livro mais lindo!!! Tanto fisicamente, quanto deve ser de conteúdo.
    A Menina acabou revolucionando a vida de muitos leitores e eu me incluo nisso. Por isso, também estou na maior expectativa para conferir o que Markus aprontou desta vez!
    Lerei.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que nãos gostei da Menina que roubava livros, então tenho um certo receio de ler outro do autor, mas quem sabe lendo esse mudo de opinião. Fiquei curiosa com esse assassinato de quem seria, mas também em saber o que aconteceu com a vida dos personagens vivendo na rua e parece ter um mistério na vida de Clay, parece ser uma leitura instigante, pena esse começo maçante, deve dar uma travada.

    ResponderExcluir

  5. Apesar de não ter lido, ainda, percebi que é uma história profunda e tocante. Acredito que o pai teve razões para abandonar os filhos e que essa ponte é repleta de significados.
    Zusak não se tornou autor de um best seller só, ainda bem!!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Aline!
    A Menina que Roubava Livros é mesmo apaixonante e encantador! E pelo visto Construtor de Pontes é bem desse jeito, hein?!... Confesso que não fiquei curiosa para conhecer mais da família Dunbar mas vou arriscar a leitura sim, quem sabe eu acabe me surpreendendo positivamente no final da leitura e também termine me apaxonando por mais esse livro do Markus Zusak?!... Bjos!

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente ainda não li nenhum livro do autor, somente faço as leituras das resenhas. Acho a escrita dele interessante, mas ainda não entrou nas minhas prioridades, por isso vou deixando para depois. A capa desse livro e bem legal e a història chamativa, gostaria de ler em breve.

    ResponderExcluir
  8. Adoro os livros do Zusak, e esse parece ser muito incrível!
    Sensível, emocionante e reflexivo.
    Dramas familiares são sempre ótimo de ler e pensar e esse parece um deles.
    Já quero!
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Aline
    Compartilhamos do mesmo sentimento ao saber sobre esse livro. Comprei ainda na caixinha da Intrínsecos e a história me envolveu assim como A Menina que Roubava Livros, essa questão da escrita poética é sensacional. Resenha ótima.

    ResponderExcluir
  10. Aline!
    Vindo de Zusak, acredito mesmo que o livro seja para 'construir pontes', ou seja, manter a união familiar e o amor mútuo, pelo menos foi a impressão que tive ao ler sua resenha, mesmo que o início tenha sido 'chato' e um tanto sem nexo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir

Copyright © 2019 | Design e Código: Sanyt Design | Uso pessoal • voltar ao topo